CORPORAÇÕES & CORPORATIVISMOS…

Acho que seria assim meus insights, se me perguntassem…

————————-

DOIS INSIGHTS, AUTO AJUDA, DICA ESPECIAL NUM PÃO COM GERGELIM!

Minha falta de visão me ensurdece. Como não pensei nisso antes, um drive-thru motivacional.

Você encosta o carro e um atendente psico-para-pseudo-psiu-motivacional prontamente :

– Qual o seu pedido senhor?

– Não sei… Meu chefe não gosta de mim… O que você recomenda?

– Sugiro uma porção de empatia empanada, senhor!

Ou…

– Meus projetos não dão certo. Estava pensando num resiliente sem molho…

– Acrescido de um shake de objetividade por mais cinco reais, senhor?

Ou ainda…

– Ando tão sem confiança… Vou pedir um duplo de autoestima!

– Vai querer sal senhor, ou deixo insosso mesmo?

 

Genial! Serei o Ray Scroque da miséria humana!

Odeio muito tudo isso!

#oreiestanu

————————————

 

HEAD HUNTERS & HEART HUNTERS

A palavra headhunter sempre me causou fascinação e medo!

Fascinação pela busca dos melhores. Temor de um dia ser procurado por um. Pensava…

Como um headhunter seleciona outro headhunter? Deve ser tipo uma luta de highlanders, com raios cruzando os céus… Ou já se nasce predestinado, com um diamante no umbigo, como o Steven Universo?

Se eu fosse contactado por um headhunter, eu não precisaria nem ser contratado. Já seria suficiente em si o contato.

Eu chegaria em casa e diria: “Crianças, não incomodem o papai. Papai foi procurado por um rédirranti… ”

Mas confesso, minha primeira experiência com um headhunter não foi boa:

Eu, supondo estar no comando da situação, me empolguei e já fui dizendo de cara que mudaria de emprego por um milhão/ano!

Ele então respondeu que ainda não falaríamos disto. Eu sabia que seria um processo bruto, mas entendi a deixa e devolvi, num lance magistral de negociação, apoiada menos pela Teoria dos Jogos e mais pelas Técnicas de Negociação do SENAC, mandei uma contra oferta:

“Ok, então deixamos por R$1.100,00 / mês + Vale Transporte e não se fala mais nisso”.

Afinal, tenho que me dar valor! Nunca mais recebi retorno! Devem estar pensando ainda…

Minha homenagem aos PROFISSIONAIS!

#oreiestanu

———————————

 

(1 + 1) # 2

A distância do fato para aquilo que eu suponho é enorme;

A distância do que eu suponho para o que eu concluo é enorme;

A distância do que eu concluo para o que eu digo é enorme;

A distância do que eu digo para o que eu escrevo é enorme;

A distância do que eu escrevo para o que eu pretendo é enorme;

A distância do que eu pretendo para o que você entende é enorme;

A distância do que você entende para o que você responde é enorme;

A distância do que você responde para o que eu entendo é enorme;

Ou seja, a probabilidade de estarmos falando da mesma coisa, no final das contas, é remotíssima!

Mas seguimos dialogando… E discordando… E errando na crase…

#oreiestanu

 

—————————————

E O PRÊMIO DE LÍDER DO ANO VAI PARA A GABI!

Gabriela é minha filha de 15 anos e o alvo preferido do Lucas, de 06 anos, que já apresentei aqui.

Sua combinação de carinho com sisudez, de tolerância com firmeza, de ternura com pragmatismo, a torna única!

Gosto de observar seu comportamento e tirar lições do seu jeito especial de ser. São valores e atitudes que filhas nos obrigam, e nos ensinam a ficar atentos, e que colocam um pouquinho de clareza em nossa perspectiva sobre o universo feminino, que supomos conhecer, mas que na verdade “somos só garotos”!

Penso que filhas nos dão a oportunidade exclusiva de sermos educados num – e para um – mundo plural. Nossas armaduras são retiradas quando interagimos com nossas filhas, e nossas perspectivas do que ensinar a um filho mudam.

Percebe-se quão medievais são nossas crenças, até que se tenha dentro de casa uma menina. E, inevitavelmente, aprendendo com este mundo, poderíamos também evoluir nas corporações:

Uma filha:

  1. Diminui nossa artificialidade na tentativa de ser natural;
  2. Permite entender, de uma vez por todas, que competência não tem sexo;
  3. Que prioridades são… Prioridades!
  4. Que se pode liderar o líder.

Todo pai merece uma menina! Todo líder deveria ter uma menina!

Eu tenho a Gabi!

#oreiestanu

———————————

 

TANTE MERDA A TE!

Aprendi com um grande amigo da Itália a expressão acima. Penso não ser necessária a tradução literal, dada a proximidade etimológica com nosso idioma, exceto pela segunda palavra, que pode trazer alguma dúvida.

Esta expressão remonta a época de ouro do teatro e aos grandes públicos que se acotovelavam para assisti-los.

E para se chegar aos teatros, belíssimas carruagens tracionadas por igualmente belos cavalos. Parte de suas naturezas, e também das nossas, as necessidades fisiológicas de… Defecar. Aos montes, como convém a cavalos bem criados.

Aos atores, chegando nos teatros, bastava numa lógica inversa, checar a quantidade de dejetos no chão, para se determinar a quantidade de carruagens e, por conseguinte, de espectadores.

Quanto mais merda, mais público! Quanto mais público, mais sucesso! Logo, quanto mais merda, mais sucesso.

Então, aos corajosos que esta semana iniciarão qualquer iniciativa, projeto, ou também, aos que tentarão não fazer nada, exceto o estritamente necessário para manter a oxigenação do cérebro, como no meu caso, meus singelos votos de:

Tante merde a te! Tante merde a noi! Quente, ao menos!

#oreiestanu

 

——————————

** Eu me senti muito mal com o post abaixo, pois o escrevi satirizando que no Linkedin se tira lição de tudo quanto é coisa e por fim as pessoas me parabenizavam pelo Insight e me agradeciam profundamente por compartilhar… Eu não tinha coragem de desdizer…**

 

O QUE UMA ESPIGA DE MILHO ME ENSINOU SOBRE CARREIRA CORPORATIVA

Impossibilitado de fazer um ano sabático, percorrendo o Caminho de Santiago de Compostela, após a viagem em 1ª. Classe, permite-me um Sábado Sabático na esburacada Estrada de Poço Grande, Guaramirim/SC.

Foi fantástico, e verdades vieram à tona, numa epifania de emoções e súbita sensação de compreensão da essência de meu ser, enquanto ente corporativo.

Por entre as trilhas, entre os milhares de milharais, reconheci numa exuberante espiga de milho, valores que podem me fazer muito melhor em minha carreira corporativa e de Liderança:

. Uma espiga é um conjunto de grãos, o que nos remete ao trabalho em Time;

. Uma espiga tem várias cascas, que nos lembram da capacidade de nos descobrirmos a todo instante;

. Uma espiga tem fiapos, que nos alertam para o fato de encontramos dificuldades até se chegar ao bem maior;

. Uma espiga de milho demora para cozinhar, o que nos rememora sobre a resiliência;

. Uma espiga de milho vira pipoca, canjica, farinha, que nos atenta para a necessidade de multidisciplinaridade;

. Uma espiga de milho, por vezes, nos serve como bem de higiene íntima, o que nos remete a superar as crenças limitadoras, até porque, por vezes, não se tem outra alternativa.

 

Obrigado espiga de milho!

#oreiestanu

————–XX——————-

Anúncios

Autor: Márcio

Bad Influencer e/ou Líder Medíocre Senior (47) 9 8818-3905

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s