Para de encher meu saco!!!

Existem Líderes, existem pessoas que SÃO líderes, existem pessoas que ESTÃO líderes, existem pessoas que PENSAM ser Líderes e, existem pessoas que NÃO são líderes…

Refiro-me agora as pessoas que JAMAIS desejarão ser líderes !!!

O Cara só quer trabalhar, na dele, concentradamente!

Nem aumento salarial precisa. Sem team building, sem abraço grupal, sem “que animal você seria?”, sem clima organizacional, sem feedback, sem energização, sem coach, sem café da sexta-feira, sem almoço de integração, sem bosta nenhuma.

Só trabalhar, concentradamente!

Inacreditável, você pode pensar, mas ainda existem funções assim, que necessitam deste introspecção quase psicopata [pelo menos aos olhos do que seja o estereotipado excelente profissional nos dias de hoje: extrovertido, felizão, multifacetado, agregador, o tal burrinho legal…]

Porém, para sua incredulidade, existem pessoas assim! Fechadas, introspectivas, esquisitas… dizem até… Mas Que gostam destas funções impensáveis para você!

E Que só querem trabalhar, concentradamente!

E elas são necessárias!

São Elas que resolverão aquele puta problema que não se resolve com power point, que precisa de laboratório, de um DOE bem robusto, de conhecimento profundo e de paciência oriental!

Então, tratemos de não estuprá-los moralmente, mentalmente e sacalmente!

Como eu poderia dizer, educadamente…

“Para de encher o saco do cara! Deixa o cara trabalhar! Puta que pariu…”

#oreiestanu

 

Anúncios

de olhos bem fechados!

Entendo meu desejo óbvio de querer fazer apenas o que amo! Porém, estatisticamente, as probabilidades de que isto ocorra são bastante remotas, ínfimas, nulas… a menos que eu ame tudo, ampliando o universo de alternativas!

É mais provável que eu tenha que me agarrar ao que apareça e aprenda a me apaixonar no caminho. Tipo casamento arranjado! Tipo dirigir um Livina, ou uma Spin, que só pode ter sido ganha na rifa da paróquia para você ter um….

Parece pouco romântica tal afirmação, mas dívidas, boletos, agiotas, questões de saúde e família, somados a um pouco de conformismo, volatilidade de convicção e de se colocar a culpa alheia me ajudarão neste processo de se gostar [na marra] do que se faz.

Até mesmo porque, fingir que se está feliz no trabalho não se sustenta por muito tempo, mesmo com prêmio por fazer o melhor Expurgo de catarro ou por vender mais planos de assistência Funeral.

E corre-se o risco das pessoas realmente acreditarem e me deixarem nisto para sempre.

Talvez, isto seja até bom! Caso contrário, quem faria nossa Contabilidade ou Despacharia nossas muambas da China para cá?

Pouco provável que sejam frutos de uma vocação ou de um desejo incontrolável.

 

E existe sempre o risco de fotos com o Chefe…

isto é mais apavorante do que salários baixos ou funções mal reconhecidas.

#oreiestanu

Buffet a quilo de Motivação

Em tempos de perfeição,    super-heróis,    queijos & monges,   autoajuda,    self-service de tarjas pretas,   alegrias embaladas,   motivação personalizada e  manadas irritantemente energizadas, Desistir é um ato tão raro quanto se encontrar a nobreza em atos.

Desistir é o suprassumo da Excelência!

Desistir é Nobre!

Desistir é Super-humano!

Desistir deveria ser o que de mais especial se busca num sapiens… leoas desistem…

Porém…

Não há mais espaço para desistentes, não há clemência para com desistentes.

Por que eu não posso NÃO mais querer?

A desistência não se limita em si. Quando se desiste, joga-se toda uma vida e um caráter na grande lixeira da hipocrisia moderna.

Porque Desistir é perder, desistir é falhar, desistir é fracassar…

Haverei de ser tachado por tudo o que fiz e por tudo que farei como um covarde, afinal, uma única desistência contamina todas as outras persistências, mesmo as inúteis.

Mas não permitirei, eu, que adoro a Desistência!  Eu posso fazer uma desistência blasé [minha preferida], tão perfeita que não se saberá se desisti por ser muito complexo ou por ser muito fácil.

Ou a desistência heroica, em que não havendo mais saída, apela-se pela inversão dos valores, e infringe-se uma autoimolação digna de Escrituras.

Não importa. Eu desisto sempre que posso!

A frouxidão de meus sentimentos precisa vir à tona pelo menos uma vez por existência. E por desistência!

Desculpe-me por existir… e por desistir!

#oreiestanu

DONA NATÁLIA É A MINHA PERSONAL-OUTSTANDING-PERFORMANCER!

Dona Natália, além de responsável pelo cafezinho, como excelente Gestora que é, utiliza-se de métricas extremamente modernas para monitorar meu desempenho.

Diariamente, ao apanhar minha lixeira e percebê-la vazia, e sabedora de que eu estou ouvindo claramente, comenta em voz suficientemente baixa:

“MEU DEUS, não fez nada hoje, hein! Seu Márcio…”

Dificilmente passo uma semana sem ouvir este feedback assertivo.

Porém atento que sou ao meu desenvolvimento impessoal, eu deveria endereçar imediatamente este gap de desempenho.

Desta forma, dei um jeito de acumular papéis na lixeira. Papéis de todos os tipos, inclusive pilhas daqueles formulários contínuos, verde-branco, utilizados em impressora matricial, também folhas de fax amareladas, já sem texto algum e canhotos de cheques do Nacional. Folhas de livros motivacionais também contribuíram para um preenchimento mais intelectual.

Agora Dona Natália me paga!!!

Estava ávido pelo novo feedback, ao ver a lixeira abarrotada de papel, e que finalmente agradaria a Dona Natália, após anos de letargia laboral de minha parte.

Finalmente é Quinta-feira!

Ela entra…

Eu largo um bom-dia de gente ocupada, olhando para a tela do computador sem vida, segurando a respiração…

Dona Natália passa por trás de mim…

Eu a persigo até onde o canto dos olhos permitem…

Dona Natália se abaixa até a lixeira, remexe a pilha de papéis e dispara:

“NOSSA… Fez tudo errado hoje, hein! Seu Márcio…”

#oreiestanu

Fingir ser Líder dá mais trabalho do que ser Líder, Adalberto…

Fingir ser Líder dá mais trabalho do que ser Líder…

 

A experiência de ser, [ou estar], líder traz lembranças para Adalberto;

Adalberto rememora sua infância;

Adalberto, serelepe que era, não gostava de tomar banho;

Podia estar imundo, o banho lhe consumia…

 

Mamãe de Adalberto, Adalbertina, para seu bem, obrigava-o;

Adalbertinho, então, seguia para o banho;

Mas Adalberto já maquinava desde pequenino;

Tomaria banho, apenas, sozinho…

 

Adalberto abria o chuveiro;

Adalberto tirava a roupa;

Adalberto molhava os cabelos;

Adalberto molhava as axilas, o rosto, as pernas, as orelhas, aos braços,

Não esquecia a barriga, costas, mãos, olhos e bumbum…

nem mesmo a pequena fimosinha.

 

Assim, tecnicamente, Adalberto não tomava banho, mantendo suas convicções.

E não desagradava sua mãe, mantendo sua reputação.

 

Liderar, para Adalberto, é como tomar falso banho…

Dá menos trabalho se lavar corretamente do que fingir…

 

#oreiestanu

Vendo Aipim Amarelo!

Vendo Aipim Amarelo!

Minha inaptidão para coisas de Motivação é clara. Esforço-me, tanto para ser um agente Motivador quanto para ser o Motivado. Sinto-me um inútil nesta corrente de Motivação tão… tão… motivadoramente motivacional!!!…. NÃO CONSIGO! EU DEVO SER UM MONSTRO!!!

 

Mas creio que uma pequena centelha ainda permaneça viva. Talvez eu possa aprender.

Estou começando a ver as coisas com olhos mais… motivadores e motivados.

 

Ontem mesmo, presenciei uma cena que seria apenas mais um acaso urbano.

MAS NÃO MAIS PARA MIM!!!

 

Um incauto jovem, na ânsia de atravessar a rua no intervalo entre dois velozes carros, forçou demais sua bicicleta, o que fez a corrente escapar da engrenagem.

Ato contínuo, o pé do mancebo escapou do pedal e a cabeça do dedão, dado que estava de chinelo, foi logo ao encontro do áspero asfalto, tolhendo-lhe de imediato o tampão de carne e mais um bom naco da unha.

Eu nunca havia visto uma unha por dentro…

 

Isto gerou seu desiquilíbrio por inesperada ação mecânica, o que fez sua mão escapar do guidão, onde apoiava todo o leve peso do seu corpo. Não conseguindo se manter, o corpo foi projetado a frente, fazendo-lhe, primeiro bater a barriga e depois todos os testículos no rígido quadro de aço carbono.

Por sua expressão, parece-me que isto lhe causou lancinantes dores.

E ainda quase foi atropelado pelos já referidos velozes automóveis… que mesmo naquela situação, não o pouparam de pesados impropérios, duvidando até mesmo de sua capacidade intelectual…

 

Novo homem que sou, dei-lhe a oportunidade de destilar suas emoções:

“Escapou a corrente, jovem amigo???”

Ainda, talvez, por efeito de suas amarguras, retrucou de imediato:

“Não… foi teu %$# que @#&*¨%$ e lambuzou tudo com &%$#… “

 

Como é bom motivar os outros! Gostei!

Ó… , ele esqueceu algumas ramas de Aipim Amarelo no chão…

 

#oreiestanu

 

Entrevista com Arievilo de Oicrám

Entrevista com Arievilo de Oicrám (um Inovador bocudo e que sofre de Disruptofobia…):

Qual o principal critério que você recomendaria aos RHs para que observassem nas contratações?

Contratem pessoas vivas! Costumam trabalhar um pouco melhor que as mortas…

 

Por que você ainda contrata profissionais com 60 anos?

Não encontrei ninguém mais sênior!

 

Gostaria de estar no Linkedin. Seria importante?

Sim, mas reserve algum tempo para a VERDADE também…

 

Como posso reduzir custos em minha empresa?

Peça a sua demissão!

 

Desafio-lhe a me ensinar a INOVAR em 15 minutos?

Conseguir lhe ensinar qualquer coisa, em qualquer tempo, já seria uma grande Inovação!

 

Você pensa fora da caixa?

Não. Se todos estão pensando a mesma coisa, há algo errado. Independentemente do que seja, faço o contrário!

 

O que é Cretino?

O que é, Cretino!

 

* Arievilo de Oicrám é um Inovador bocudo e que sofre de Disruptofobia…

#oreiestanu