Inovação…. arruinando a Festa!!!

Tudo mundo fala sobre Inovação… Então também posso…

—————————-

 

A INOVAÇÃO DISRUPTIVA POR QUEM REALMENTE ENTENDE DAS COISAS…

O LUCAS!

Já era bastante tarde. Eu com aquelas mil coisas que vem à cabeça num momento que deveria ser de higiene mental…

Luz apagada, quando percebo a porta abrindo devagarinho… Pelo tamanhinho da mão que a movia, sabia quem era…

Fechei os olhos rapidamente, fingindo sono profundo!

Ele encostou-a cuidadosamente, andou pé-sobre-pé, subiu na cama e se aproximou bem do meu rosto, olhando fixamente.

Sentindo o ventinho que ele expirava, deixei escapar um pouco de sorriso e ele:

– Amigão? Você está acordado?

– Sim, amigão…

– Fazendo o que?

– Pensando…

– No que?

– Nas coisas que vou Inventar… Mobilidade, Segurança Infantil, Manufatura Digital, Rastreabilidade…

– Hummm… não sei bem o que é isto, amigão!!! Mas eu sei o que queria inventar!!!

– O que?

– Uma galinha que coloca Kinder Ovo…

– Eu não poderia desejar coisa melhor… Você me dá uma?

– Sim! Posso dormir só um pouquinho aqui?

– Só se me der 10 beijos de boa noite…

O Lucas tem a chave da minha disrupção!!!

#oreiestanu

——————

 

99.001 Dicas sobre inovação – disrupção

Pessoalmente, penso ser desnecessário o termo Inovação disruptiva, tratando-se quase de um pleonasmo vicioso, e viciante, dada a quantidade de referências ao termo.

Lembram do pleonasmo? Subir para cima, entrar para dentro, ter uma surpresa inesperada.

Se não desejássemos pôr o conceito de inovação em embalagem tão bonita, poderíamos utilizar tão somente inovação, simples assim e suficiente em si.

Acontece que gastamos tanto a palavra inovação, especialmente com coisas que não passam de melhorias, incrementos, que foi necessário revesti-la com uma grossa camada de ouro para dar seu devido valor.

E por falar nisto, a “Sustaining Innovation” é a nossa boa e velha melhoria incremental (pleonasmo…), mas ninguém quer ser consultor de melhoria incremental. Porém o termo é claro e também, suficiente em si!

Voltando ao termo inovação disruptiva, creio o próprio termo disruptivo ser também estranho, algo como “fiz uma volta de 360º em minha vida”, uma vez que:

Dis (contra, anti, afastamento, negação) + ruptiva (ruptura) = contra-ruptura… Mas esta é só por aporrinhamento meu mesmo…

Só estou dizendo aos leigos, nesta primeira dica das 99.001 que escreverei, para não se preocuparem tanto em criar um glossário.

#oreiestanu

——————-

 

Inovação: estragando a festa!

Gostaria que não fosse assim, mas inovação não é esta festa da alegria, com pessoas descendo pelo escorregador, jogando tênis de mesa e definida por quem nunca vivenciou um processo sequer de Inovação.

Refiro-me a ter que inovar para se manter líder mundial, como requisito para sobreviver. Inovação como um processo completo, do insight até o produto na casa do consumidor. Inovação, que no mínimo, exigirá:

. Estreito planejamento e footprint para 20 anos;

. Mapear continuamente o estado da arte /concorrente;

. Validar a proposta, e se não matará alguém em todos os modos de falhas;

. Adequação a legislação para cada país e aos requisitos de Safety, com sanções que quebrarão a empresa;

. Pessoas, tempo e dinheiro limitados e insuficientes;

. Escrever, traduzir e gerenciar depósitos de patentes gigantescos;

. Bancar brigas jurídicas homéricas;

. Sistema, controle, pressão, opção e decisão;

– Exige… (to be continued)

O insight no chuveiro é romântico, mas o que rola são brainstormings intermináveis, com muita “pauleira” e o prazo batendo na porta!

Essa é minha concepção de Inovação, após 21 anos de P&D numa empresa brasileira, 2ª. maior geradora de patentes, líder mundial, com o produto mais eficiente do mundo, no meio de concorrentes colossais .

#oreiestanu

——————————

 

Inovação com escala de trabalho 24×7…    Ainda estragando a festa!

 Compartilho aqui umas das situações mais emblemáticas do processo de criação (e que tendem a não constar nos cursos de inovação a distância):

Estava subindo as escadarias para mais um dia de trabalho quando encontro um amigo descendo, voltando para casa. Isto era 8h da manhã… De domingo!

Trocamos rápidas palavras, cada um do lado da escadaria e no último lance ele me chama:

– Márcio, que dia da semana é hoje?

Claro que havia uma licença poética pelo horário que se deu, mas esta situação é (também) bastante emblemática de quem se propõem a inovar.

Limite de horário é luxo! Seus esforços têm que ser acima da média, do que está se fazendo. Um dia a mais de trabalho, um dia a menos de trabalho!

O que você já faz, a concorrência já mapeou, copiou ou melhorou.

O que você entrega não servirá ao cliente daqui a cinco anos, considerando, por exemplo, a legislação de eficiência energética.

Chega a ser surreal, mas já estamos atrasados com produtos que sequer foram lançados!

Infindáveis testes, combinações, análises. 1.000 produtos testados: 999 OK, 01 não OK! De volta para a prancheta!

Não dá para inovar parando às 17h30!

E o que é pior, ou melhor, na verdade, você não quer parar!

#oreiestanu

—————————–

 

Por que não me falou antes?!

Há cinco anos iniciei meu próprio negócio. Lamento profundamente, por naquela ocasião, não dispor das dicas de não-empreendedores para empreendedores:

. Trabalhar muito;

. Ter uma boa equipe;

. Respeitar a todos;

. Cuidar do cliente;

. Ter um preço justo;

. Ser ético;

. Ser criativo;

. Trabalhar muito (já foi?);

. Aprender com os erros;

. Não desistir;

. Ir à luta;

. Levantar quando cair…

. Acordar cedo (mesmo se o empreendimento for uma boate?)

É sempre bom ter esta visão diferenciada das coisas, com insights tão valiosos, vai me ajudar muito daqui para frente!

#oreiestanu

————–XX————-

Anúncios

Lições duras com os Pais e com os Bonobos…

Textos tentativamente para me tirar da Letargia… mas que logo retorno!!!

———————–

Fazia tempo que não falava com meu pai. O que é ruim, pois meu Pai sempre me devolve à realidade.

Ele tem um caminhão de frete, e que ele descarrega sozinho porque diz que os motoristas das empilhadeiras são preguiçosos e ele não pode esperar…

Meu Pai sempre me pergunta como estão as coisas. Eu digo que estão difíceis!

Então ele me pergunta se eu não trabalho mais com computador.

Eu digo que sim, ainda trabalho…

E meu Pai me conforta: “Ahh filho isto não é serviço, não….”

Meu Pai sabe me energizar!!!

“E estou escrevendo algumas coisas na Internet também, Pai!”

“Eu soube, o Beto comentou. E é tipo assim, um trabalho? ”

“É, quer dizer, mais ou menos, pode ser…. Eu posso ser um Influenciador Digital…”

“Filho , não importa o que você queira fazer, saiba que o Pai nunca vai se envergonhar de você.. E quando melhorarem as coisas, o Pai sabe que você vai arrumar coisa séria…”

Meu Pai sabe me energizar!!!!

Eu é que não vou falar para ele que é um lugar onde as pessoas se conectam, compartilham e falam “Gratidão”…

Tenho certeza que, quando ele souber o que faz um Influenciador Digital vai me perguntar se não dá para ser um “Realizador Real”…

#oreiestanu

——————

 

EU QUERO SER UM BONOBO!

Bonobos são seres geniais! Eu não consigo fazer o que um Bonobo faz. Eu quero muito fazer um pouco do que um Bonobo faz!

Os Bonobos passam no teste no Espelho e se reconhecem. Eu vejo um espelho e não me enxergo…

Os Bonobos se comunicam bem, incluindo vocalizações. Eu não me comunico, nem por vocação…

É possível entender as expressões faciais e gestos naturais de um Bonobo. Eu sempre finjo o que estou sentido e fazendo…

Bonobos já se comunicaram utilizando Lexigrama. Eu ainda não sei o que é um Lexigrama…

O Bonobo Kanzi tem um vocabulário com mais de 3.000 palavras em inglês. Eu ainda erro no Português…

Kanzi aprende observando as pessoas. Eu só observo as pessoas desaprendendo…

Um Bonobo utiliza o sexo para hierarquização, socialização, resolução de conflitos, instrumento de compensação, reconciliação… e reprodução. Eu estaria feliz apenas com a reprodução…

Bonobo é um primata não humano. Eu sou um primata desumano…

#oreiestanu

(obs: informações extraídas da wikipedia) (obs: imagem By William H. Calvin, PhD – Own work)  *os Bonobos estão a direita…

——-XX——-

Quero ser o melhor idiota do mundo!!!

O IDIOTA INÚTIL

Sempre me preocupei em não ser um idiota inútil. Sabia que não fugiria de ser idiota, então que houvesse pelo menos, algum sentido em minha honrosa idiotice.

Hoje, com muita luta, não tenho vergonha de dizer: Estou conseguindo! Tenho o apoio de meus amigos e de meus familiares nesta jornada, ao contrário de muitos que não contam com esta base sólida, e que não prospectam outro futuro senão a inutilidade de sua idiotice.

Sei que pareço estar ostentando, mas não é este meu objetivo: Estou aqui para ensinar e ajudar o maior número possível de seres, inclusive pessoas. Um idiota útil pode ser muito… útil à sociedade.

Afinal, somos nós que mantemos as coisas como estão, somos nós que não olhamos por cima do muro, somos nós que justificamos revoluções e é em nossos nomes que salvadores e heróis surgem, e morrem.

Nós mantemos as audiências altíssimas, consumimos opiniões, produtos e serviços sem qualidade, seguimos a manada e aguardamos na fila.

Mas eu posso ser melhor ainda, o que significa fazer muito menos do que estou fazendo, até que a minha ignóbil letargia social seja o estado da arte  comportamental.

#oreiestanu

——————————–

 

MEUS MAIORES ACERTOS SÃO OS MEUS ERROS! ou seria o contrário???

Não vou nem tentar! Cansa…

E se não tento, nunca erro.

Se nunca erro, sempre acerto.

Se sempre acerto, sou o melhor.

Então, não tentando serei sempre o melhor.

E poderei fazer críticas aos que tentam e massacrar os que erram.   O meu melhor de mim é o meu pior!

E quanto mais me conheço, pior fico.

Não quero me conhecer, senão vou ter que arcar com o ônus de melhorar e ficar melhor para os outros. Não quero! Não sou capaz!

Se eu for o único a não melhorar, o sistema vai me ajudar, porque todos estarão tentando ficar melhores para mim.

É como se todos não quisessem seus trocos na divisão da conta do bar. Assim, eu ficando por último, pagarei o menor valor…

Ahhh… E não quero ser nenhum animal, não vou dar soco em tábua fininha de madeira, não vou ler “O Mongo e o Executivo”, não quero eliminar meus gaps, não aprendi nada caindo de bicicleta e não tive nenhum insight vendo uma briga de hipopótamos pela fêmea…  desculpem-me!

#oreiestanu

———–XX————-

Gosto muito das Redes Sociais. Mas (ainda) gosto mais do Bar do Beto…

** este post atingiu mais de 300.000 views, nao é nada, não é nada… não é nada mesmo!**

—————————————–

Os dois são Oráculos do conhecimento. Mas no Bar do Beto as pessoas não têm dentes tão brancos.

O Bar do Beto ainda tem (ou substitua por: As Redes Sociais ainda não tem…) algumas características que me deixam mais à vontade:

. O tamanho do Nétiuorqui depende apenas da quantidade de cadeiras, aquelas de plástico, em volta da mesa;

. No Bar do Beto você não precisa agradecer por uma ofensa que acabara de receber, você simplesmente manda a merda, e seguem amigos;

. Você não toma Vinho no Bar do Beto, você toma cerveja;

. Você não usa talheres, você usa, quando muito, um guardanapo para segurar o ovo em conserva, e mesmo assim aquele fedor vai ficar mais uns 2 dias em suas mãos;

. Quando alguém diz que ficou desempregado não se tenta vender nada para a pessoa, aliás, paga-se a cerva dele;

. No Bar do Beto não se mede quem sabe mais, aproveita-se cada novo conhecimento;

. No Bar do Beto todas as suas opiniões tem o tamanho que precisam ter, o tamanho de uma ensebada mesa de bar;

. O Linkedin não tem a melhor Costela assada de Joinville!

. E a conta Premium é mais barata no Beto…

#oreiestanu

——-XX———

Eu sou uma Farsa! Bem intencionada, mas ainda uma Farsa…

Aprendo tudo com todos, faço um ajuntado de palavras e recebo lindos e sinceros elogios.

Tomo os elogios, como se fora sem querer e inflo meu ego, sem demonstrar o quão ansioso estou para conhecer meus novos contatos e os ricos comentários.

Agradeço a crítica e digo entender o ponto de vista, mas me pergunto o que faltou para ele entender, ou para eu falar, no fundo, não quero desagradar ninguém e adoro likes.

Misturo um pouco de tudo em meus textos e as pessoas tiram lições e aprendizados que eu nem sequer supunha estar ali.

E eu recebo os méritos.

Sempre fugi de planos e detestei a rotina e recebo recomendações por organização.

Vivo me esquivando de problemas e sou taxado como referência em delegação.

Deixo meu time resolver tudo e sou reconhecido com um bom gestor.

Aceito um desafio para área comercial, que jamais considerei atuar, justo no ano que a empresa faz os melhores resultados da história pelo time que tem, e sou parabenizado.

Aprendi um pouco de italiano para pedir comida no tele-entrega e a empresa me convida para viagem ao exterior por eu ter visão de futuro.

Tenho 45 anos e ainda não sei o que fazer em minha carreira e sou considerado líder-coach.

Se eu não sou uma farsa, sou um golpe de sorte!

#oreiestanu

———-XX————

Toda a Corte está, também, nua!!!

**Posts, fundamentalmente, “foi-se a paciência” …**


 

TRAGAM-ME UM IDIOTA (E UMA ALAVANCA) E EU NÃO MOVEREI O MUNDO!

Ignorância em si não é uma ofensa. Mas um estado temporário de ausência de conhecimento e que pode ser revertido (mas exige esforço…).

Se alguém lhe impõe está alcunha, ele estará dizendo: “Meu grande amigo, deixe agora este seu estado temporal de falta de conhecimento”.

Entretanto, IGNORÂNCIA + CARÁTER gera um tolo de bom coração, manipulável, confiante, de fácil trato. O que não é bom para a sociedade!

Por sua vez, IGNORÂNCIA + SEM CARÁTER gera um idiota, um imbecil com convicção. Extremamente danoso à sociedade, pois tem análises rasas, eloquência feroz e procria muito rapidamente, apesar da vida curta, tal qual a mosca.

Menos mal que são facilmente identificáveis assim que se despeja o reagente do fato e da verdade sobre os mesmos.

Entre estas espécies cabe ainda destacar que no primeiro caso é possível a reversão. Já no segundo, ele está, neste exato momento, travando sua evolução.

A Reversibilidade é remotíssima e tende a rejeição cerebral.

#oreiestanu

—————————–

 

ESTAMOS A XX DIAS SEM ACIDENTES VERBAIS…

“Eu respeito sua opinião!” .

Percebo que, usualmente, “respeitar minha opinião” tende a “concordar com minha opinião”.

O que evita o conflito funcional, deixando-nos bem com o interlocutor, mas que tem como efeito colateral o empobrecimento da discussão.

Permita-se supor a condição de que “respeitar sua opinião” signifique “respeitar o seu direito à opinião”, e que pode não significar, necessariamente, “respeitar o conteúdo da sua opinião em si. ”

Quando alguém publica uma tese de mestrado aqui no In, – cientificamente perfeita e fundamentada com ampla pesquisa e validação, expondo o tema – pode-se supor que ele queira conhecer essas diferentes opiniões, com diferentes níveis de conhecimento, respeitando-as.

Mas ele pode não respeitar, no sentido de não reconhecer como válida, alguns comentários que, talvez, não estejam estaticamente representativos ou experimentalmente comprovados.

Um dos significados de respeitar é admitir, logo, não respeitar se iguala a não admitir. O autor pode não admitir determinada opinião por insuficiência de dados. Pode…

Frisando que ele pode:

. Respeitar seu direito a opinião,

. Não respeitar (admitir) o conteúdo da opinião em si,

. E ainda assim ser seu amigo, ou pelo menos, não ser seu inimigo!

Pode?

#oreiestanu

——————-

 

DESEJA EMAGRECER LIDERANDO? PERGUNTE-ME COMO!

Num dos infinitos cruzamentos de Joinville, onde você fica uma eternidade na pista da direita, alguém surge da esquerda e se posiciona abruptamente à sua frente. Pensei: Ótima situação para exercitar toda a minha liderança!

Sabedor que a solução do conflito partiria de um líder, dei uma leve buzinada. Eu exercitaria a empatia supondo que o parrudo senhor desconhecia as leis.

Despertaria-lhe tb para o bem coletivo em detrimento de seus objetivos pessoais. Esta era a função da buzinadinha-feedback, quando este me colimou raivosamente pelo retrovisor.

Percebi sua mão  saindo pela janela por aprox. 1,80m , e seu dedo médio em riste. Confesso sobre a incerteza de quais fundamentos aplicaria naquele momento…

Devolvi com um gesto de que  eu não estava entendendo aquela reação agressiva.

Ele respondeu, dominando técnicas do líder-minuto, porém sem evidências do “O Monge e o Executivo”, com o dedo ainda mais elevado.

Inteligentemente, percebi que não haveria clima para fazer a Gestão de Clima. Mudando a estratégia, com ampla leitura do ambiente, apliquei o ótimo local com visão global:

O sinal abriu, ele seguiu a frente e eu desviei para esquerda, largando um acalentador:

“SEU CORN#”

#oreiestanu.

 ——–XX————

 

 

 

pausa para o intervalo do coffee-break!!!

** textos que eu não sei que categoria encaixar, mas precisava dizer…**

——————————————–

Minha mediocridade não tem limites!

Egocêntrico, centralizador, desumano, intolerante, titubeante, hipócrita,mal educado, mau caráter…

Certamente nenhum deles constaria em CV algum. Ou você, com sua performance outstand e comportamento ilibado, revelaria estes segredos tão profundos? Não.

Só vamos torcer para que percebam a incompetência dos outros antes.

Inimaginável então manchar a biografia de um líder com tais aberrações, certo? Pois bem, saibam que, Jobs, Ford, Einstein, Mandela, Julio Cesar, Gengis Khan, Martin Lutero, Lincoln, João Paulo II, Churchill, Ghandi, Napoleão, Homer Simpson, Merkel… Já foram tachados assim.

Mesmo com toda esta “humanidade torta”, os caras deixaram de fazer o que fizeram, ou pior (ou melhor?):

E se fizeram justo por também serem assim? Gosto de pensar desta segunda forma, pois sobra a esperança de ainda deixar algum legado…

Gostamos de criar mitos e adorá-los. Olhamos a história de trás para frente e dissemos: “Nossa, esse cara é um gênio, graças as suas habilidades de liderança, gestão, empatia, trabalho em time, blá blá blá criou isto”.

Não! Ele fez a coisa primeiro e somente depois é que nós concebemos nossas análises e fabricamos nossos heróis, moldados aos nossos imensos medos , auto-sabotagens e irreais limitações.

#oreiestanu

—————————

 

EU ADORO AS TOLICES. PRINCIPALMENTE, AS MUITO TOLAS!

Tem coisas que de tão repetidas, numa intenção inicial de se apresentar como um domínio absurdo de assunto, chegam a ser constrangedoramente irritantes. E por fim, divertidas!

A história da origem da feijoada, por exemplo! Basta se iniciar uma conversa que se provou uma bela pratada da irrecusável iguaria para que alguém já trate logo de colocar:

“Até porque a feijoada era a comida dos escravos, que pegavam as sobras do porco e blá blá blá…”

Outra que irritantemente me diverte é a história da Muralha da China. Bastou dizer que esteve em Beijing para que alguém, sem pestanejar, já exponha seu conhecimento profundo:

“Inclusive, é a única obra do homem que pode ver vista do espaço e blá blá blá…”

Eu não sei se se tratam de mitos ou verdades. E para ser sincero, nem me interessa mais.

O que me diverte neste duelo de sabedorias ecléticas é:

. a naturalidade com que se expõem;

. a convicção sobre o que não se conhece;

. a indiferença para o fato de que alguém já poderia “saber” mais disto;

. e a crença férrea de que está trazendo um fato novo!

Sobre utilizarmos apenas 10% do cérebro, começo a acreditar que possa ser verdade… com casos reais!!!

#oreiestanu

—————————

 

Minha bucólica e colonial Joinville está em festa!

Inicia-se hoje nosso tradicional e consagrado Festival de Dança. E com isto, nossa também tradicional aparição no Fantástico pela segunda e última vez no ano (a primeira se refere às inundações de março).

Mas voltando ao evento cultural, não víamos a hora desse momento chegar e com ele, alguns hábitos pitorescos:

. 90 minutos aguardando por uma pizza, após aguardar 45 minutos para entrar na pizzaria;

. Pizza de atum sem cebola, com cebola;

. Escadas rolantes de shopping bloqueadas por um mar de gente tentando assistir a alguns espetáculos gratuitos;

. Trânsito caótico pelos desvios de acesso;

. Milhares de saltos em frente a Escola do Ballet Bolshoi, até que a foto fique boa, enquanto você aguarda na calçada, para não atrapalhá-los;

. Reações alérgicas violentas devido aos pesados casacos dos dançarinos que só o utilizam uma vez ao ano;

. Coreografias não tão sincronizadas, a ponto de acharmos que alguém está de castigo;

. Muitos chicletes grudados na sola dos sapatos e só com laser para arrancá-los;

. Oportunidade única para que eu possa confirmar que realmente estou gordo “pra caramba”, no meio de tanta gente elegante;

. Velhos ranzinzas reclamando no In.

Mas quem liga? Willkommen in Joinville!

#oreiestanu

—————————————-